25 abril 2016

O que realmente importa!


     Vivemos dias conturbados, numa sociedade de valores invertidos e princípios deturpados.
As pessoas já não respeitam a si próprias, quanto mais ao próximo.
Tudo está voltado para o EU, pessoas cada vez mais egoístas, mas também cada vez mais infelizes.
     Ética, moral, caráter, respeito, empatia, compaixão, lealdade, fidelidade são alguns princípios básicos que se perderam em meio à essa bagunça de esteriótipos impostos pela sociedade.
E frente a tanta turbulência, sabe o que realmente importa?
     O que importa é você olhar seu reflexo no espelho e sentir orgulho de ser quem é!
É saber que mesmo que o julguem careta, você tem a plena consciência de que está fazendo a coisa certa. 
O que realmente importa é respeitar e olhar as pessoas com empatia, é ser leal às pessoas que amam e respeitam você e até mesmo àqueles que não merecem, pois caráter é algo que se tem e cada um dá aquilo que tem! 
Importante mesmo é não desejar ou fazer com outros aquilo que você não gostaria que fizessem com você.
     Legal mesmo é não querer ser igual aos outros, de não fazer algo só porque todo mundo está fazendo.
A verdadeira essência está na profundidade do seu "eu";
Por isso não fuja de quem você é, não tenha medo de ser simplesmente você.

Autenticidade é cor e cor é de grande valor em meio a gente tão em preto e branco.

11 abril 2016

Independentemente de...


      Vivemos em tempos onde as pessoas estão cada vez mais frias e mais vazias.
Cheias de "razão" e vazias de "certezas". Está tudo tão caótico que a raça humana não consegue parar para enxergar o próximo, pois o mais importante é olhar para si mesmo.
As alegrias e tristezas do outro não interessam se não for algo que as afete de alguma maneira.
Por isso, tem tanta gente optando em ficar sozinho, escolhendo não se relacionar para evitar de se machucar, o que é impossível, não tem como evitar o que é inevitável.
      Muitas vezes não conseguimos enxergar o próximo com empatia, o problema, a dor ou seja o que for é sempre maior que a do outro, o que nos impede de "amar".
Não conseguimos aceitar as pessoas como elas realmente são, estamos sempre querendo moldar e fazer adaptações para que sejam como nós acreditamos que seja correto.
      No entanto, as pessoas são o que são e de jeito que deveriam ou não ser, "Disseram que gostavam do meu cabelo (mas o mudaram). Disseram que gostavam do modo como eu me maquiava (embora tenham mudado isso também)" extraído do livro Extraordinário.
      O que estou querendo dizer é que devemos amar e aceitar as pessoas independentemente de... (de que?);
Independentemente de seus defeitos, hábitos, convicções religiosas ou políticas, escolhas, erros...
Todo mundo tem problemas, traumas, arrependimentos e todos precisam ser aceitos independentemente do que as fez ficar como estão ou são.
Ou podemos simplesmente nos afastar e continuar a olhar para nosso próprio umbigo.
Mas tenha certeza de que, isso não te fará alguém melhor para com os outros e menos ainda consigo mesmo, pois precisamos uns dos outros, admitindo ou não.
      Tenho a plena convicção de que, pessoas mais feridas emocionalmente, que tem um turbilhão de emoções e problemas, são as que mais tendem à se aproximar, ajudar e por último e não menos importante; amar!
São mais humanas e sensíveis do que àqueles que julgam estar bem demais para se envolver com problemas alheios, os mesmos que se julgam cheios de convicções e dizem não ter tempo para pessoas "vazias", quando na verdade o seu coração é que está. Mas calma lá amigo, não posso deixar de mencionar que: "Dizer que não tem tempo para pessoas vazias é o mesmo que dizer que você não tem nada de bom à oferecer, que as possa preencher.



Layout: Natana Duarte | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©